Argentina flexibiliza medidas de controle de câmbio

24 de janeiro de 2014

#Argentina


O governo argentino liberalizou nesta sexta-feira (24) algumas medidas de controle de câmbio, impostas nos últimos dois anos, para frear a fuga de pesos. A partir de segunda-feira (27) os argentinos poderão comprar dólares (e outras moedas estrangeiras) pelo câmbio oficial, operação que tinha sido proibida em julho de 2012. O chefe de gabinete da Presidência, Jorge Capitanich, também anunciou a redução do imposto cobrado para compras feitas com cartão de crédito no exterior, de 35% para 20%.

O anúncio foi feito dois dias após a maior desvalorização do peso em doze anos. A cotação do dólar oficial saltou de 6,8 pesos na terça-feira (21) para 8 pesos na quinta-feira (23). No mercado paralelo, que cresceu nos dois anos de política de controle cambial, a cotação do 'dólar blue' (como é chamada a moeda comercializada no paralelo) passou de 11,8 pesos para 13 pesos.

As medidas fazem parte da política cambial de “flutuação administrada”, explicou o chefe de gabinete da Presidência argentina, em entrevista coletiva. “O governo considera que o preço do dólar alcançou o nível de convergência aceitável para os objetivos da política econômica”, disse ele.

Segundo o economista Fausto Spotorno, a intenção do governo e reduzir a brecha entre o dólar oficial e o paralelo, cuja cotação vem aumentando desde a implementação de rígidos controles ao câmbio. A primeira medida foi anunciada em outubro de 2011: quem quisesse comprar dólares na Argentina tinha de pedir autorização à Administração Federal de Ingressos Públicos (Afip), órgão equivalente à Receita Federal brasileira, e demonstrar que tinha pesos suficientes para realizar a troca.

“Os argentinos compram dólares há mais de três décadas porque acham que é a forma mais segura de poupar e preservar o poder de compra de seu dinheiro”, explicou à Agência Brasil o economista Marcelo Elisondo. “Não confiam nos bancos, porque o dinheiro deles já foi confiscado mais de uma vez e agora estão preocupados com a inflação”.

Em maio do ano passado, o ministro da Economia, Axel Kicillof, estimou que os argentinos tinham US$ 40 bilhões guardados fora do sistema financeiro local: em cofres bancários ou em casa.

Em 2012, o governo limitou ainda mais as operações de câmbio: só podia comprar dólares quem viajasse ao exterior. Os argentinos passaram, então, a fazer viagens relâmpago aos vizinhos Paraguai e Uruguai, para comprar dólares no mercado oficial argentino ou sacar dólares nos caixas eletrônicos dos dois países para revendê-los no mercado negro. O governo apertou o cinto impedindo o uso dos cartões de débito argentinos no exterior e cobrando taxa de 35% sobre cada operação com cartão de crédito no exterior.

As medidas anunciadas nesta sexta-feira reduzem o imposto a 20% e autorizam a compra de dólares mesmo para quem não for viajar ao exterior. Os argentinos, no entanto, ainda precisam pedir autorização à Afip se quiserem fazer uma operação de câmbio.


Matéria: Agência Brasil

Síria: Oposição designa novo chefe das negociações em Genebra 2

#Síria #Genebra


A Coligação Nacional Síria designou hoje (24) Hadi Al Bahra como chefe das negociações com o governo sírio na Conferência de Paz Genebra 2, informou Burhan Galion, que também integra a delegação da oposição nas negociações. Al Bahra é secretário-geral, membro da Comissão Política da Coligação Nacional e foi escolhido pelo presidente da organização, Ahmed Jarba. As conversações de paz, iniciadas na quarta-feira (22), foram marcadas até agora por críticas e acusações entre os representantes do regime e os da oposição.

Os trabalhos desta sexta-feira começaram em clima de ameaças e ataques mútuos e a reunião com o mediador das Nações Unidas (ONU), Lakdar Brahimi prevista para o começo da manhã de hoje, não chegou a acontecer. Brahimi reuniu-se no final da manhã com a delegação enviada pelo governo e, à tarde, terá um encontro com membros da oposição.

O ministro dos Negócios Estrangeiros sírio, Walid Muallem acusou a oposição de “falta de seriedade e de disposição” para negociar e ameaçou abandonar as negociações se, a partir de amanhã (25), a postura do governo não mudar. Para a oposição, o ponto de partida para se negociar é a assinatura do Comuniqué de Genebra por parte de representantes do regime do presidente Bashar Al Assad. No documento - que prevê os próximos passos da conciliação no país -, propõe mecanismo de transição de poder por meio da criação de um grupo executivo.

"Caso contrário, será uma perda de tempo. Precisamos de uma confirmação do comprometimento com o Communiqué. Esta é a base para começar o diálogo", explicou o representante da coalizão, Luai Safi. Para ele, se não houver esta confirmação, não há porquê começar as negociações.


Matéria: Agência Brasil
* Com informações da Agência Lusa e da Itar Tass

Aiea aprova plano para supervisão do acordo sobre programa nuclear do Irã

#Irã


A Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea) anunciou hoje (24) o seu apoio ao plano para a supervisão do acordo firmado entre potências mundiais e o Irã sobre o programa nuclear desse país. Fontes da agência indicam que os 35 países que fazem parte do organismo deram aval unânime para a supervisão do plano estabelecido em novembro.

Os países signatários do acordo (Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha) querem que a Aiea verifique as diferentes fases do compromisso. O presidente da agência, Yukiya Amano, pediu hoje a ajuda da comunidade internacional para que isso seja viabilizado. Estima-se que serão necessários 6 milhões de euros (cerca de R$ 19,4 milhões) nos próximos seis meses, dos quais 500 mil euros (R$ 1,6 milhão) poderão ser financiados pelo organismo.

“Precisamos quase duplicar os recursos de pessoal destinados à verificação no Irã. Precisamos aumentar de forma significativa a frequência das atividades”, disse Amano. De acordo com o embaixador norte-americano na AIEA, Joseph MacManus, vários países expressaram vontade de contribuir com o aporte financeiro.

O compromisso do Irã, segundo o previsto no acordo, é suspender algumas atividades no setor nuclear, como o enriquecimento do urânio a 20% e a construção de uma central de água pesada. Em contrapartida, os Estados Unidos e a União Europeia devem encerrar as sanções financeiras e comerciais que impunham ao país.


Matéria: Agência Brasil
*Com informações da Agência Lusa

Manifestantes ampliam protestos na Ucrânia

#Ucrânia


Manifestantes ucranianos ampliaram hoje (24) os protestos na capital, Kiev, depois de as negociações entre a oposição e o presidente, Viktor Yanukovich, não terem conseguido por um fim à crise que atinge o país desde o fim de 2013. Depois das negociações, os manifestantes começaram a aumentar o campo de protestos na Praça da Independência e ativistas ocuparam o Ministério da Agricultura, no centro da capital.

"A Praça da Independência é uma ilha da liberdade e vai expandir o seu território até sermos ouvidos", disse o líder da oposição Vitali Klitschko, dirigindo-se aos manifestantes, depois das negociações.

Com sacos de neve, pneus e outros objetos, as pessoas passaram a noite nos locais de protestos para garantir o controle do centro da cidade e impedir o avanço de forças policiais. Na madrugada desta sexta-feira, não houve qualquer incidente violento em Kiev. No último domingo (19), os confrontos entre forças de segurança e a população se intensificaram. Até hoje, cinco pessoas já foram mortas e mais de 100, detidas.

Em sessão extraordinária, o Parlamento ucraniano, em recesso de inverno, se reúne hoje para discutir a deterioração da situação política do país e formas de solucionar a crise de maneira pacífica. Segundo informou o porta-voz do Parlamento, Vladimir Rybak, a declaração de estado de emergência continua não sendo uma opção para o governo e não deverá ser ponto de debate na sessão


Matéria: Agência Brasil
*Com informações da Agência Lusa e da Itar Tass

EUA reforçam segurança nas Olimpíadas de Inverno da Rússia

#Rússia


Brasília - Os Estados Unidos anunciaram o envio de navios de guerra para o Mar Negro para eventuais evacuações caso haja algum atentado terrorista durante os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, no Sudoeste da Rússia. Os jogos serão realizados entre os dias 7 e 23 de fevereiro. A área em que acontecerão as Olimpíadas está sob forte vigilância do governo russo, especialmente depois dos atentados em Volgogrado, na mesma região de Sochi, no começo de janeiro. Neste mês, foram estabelecidas restrições a manifestações e o acesso ao local está sendo controlado.

De acordo com o porta-voz do Pentágono, John Kirby o envio das embarcações norte-americanas é uma precaução devido à instabilidade na região. Esta área do território russo estará fechada até o dia 21 de março para a chegada e a partida de embarcações de pequeno porte, barcos pesqueiros e iates. Haverá exceção em caso de serviços de emergência. A cidade de Sochi é localizada na região do Cáucaso, em que há atividade de grupos guerrilheiros extremistas islâmicos.

Nesta sexta-feira (24), o Parlamento russo irá fazer um apelo à comunidade internacional para que seja estabelecida uma "trégua olímpica" durante os jogos de Sochi.

"Armas têm de se silenciar quando o ideal do esporte e da amizade conquistam as mentes e os corações das pessoas ao redor do mundo. A trégua olímpica foi e deve permanecer sendo um momento de rivalidade pacífica, em uma atmosfera de amizade genuína e camaradagem", informa o rascunho do apelo que será apresentado ainda hoje.


Matéria: Agência Brasil
Com informações da Agência Lusa e da Itar Tass

Bomba explode em Roma antes de encontro de Hollande com o papa

#Itália


Uma bomba artesanal explodiu, na madrugada de hoje (24), nas proximidades de uma igreja francesa em Roma, a poucas horas da visita do presidente da França, François Hollande, ao Vaticano, informou a embaixada francesa na Santa Sé.

Na rua onde a bomba explodiu encontra-se apenas “a Igreja de Santo Ivo dos Bretões, que faz parte das instituições religiosas da França em Roma e Loreto, e um restaurante”, disse a secretária do embaixador da França no Vaticano.

A explosão só provocou danos materiais, atingindo a janela de um edifício e três carros que estavam estacionados na Vicolo della Campana, uma pequena rua do centro histórico da capital italiana, informou a polícia. Até o momento, nenhum ato de reivindicação foi encontrado ou transmitido às autoridades.

Segundo a funcionária da embaixada, uma das hipóteses consideradas é a de um ato relacionado à visita do presidente francês.

Os restos da bomba estão sendo analisados pelas autoridades romanas.

François Hollande encontra-se hoje com o papa Francisco no Vaticano.


Matéria: Agência Brasil



Explore o MAXX

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Cultura

Famosos
MAXX FM
Música
Sobre Rodas
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade, em especial no que tange ao uso de cookies."

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni