Cartes agradece apoio brasileiro, mas diz que Paraguai não quer favores

30 de setembro de 2013

Internacional



Cartes agradece apoio brasileiro, mas diz que Paraguai não quer favores
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-09-30/cartes-agradece-apoio-brasileiro-mas-diz-que-paraguai-nao-quer-favores
Sep 30th 2013, 16:17

Danilo Macedo e Carolina Sarres

Repórteres da Agência Brasil
Brasília – Em sua primeira visita de Estado ao Brasil, o presidente do Paraguai, Horacio Cartes, agradeceu o apoio que tem recebido do governo da presidenta Dilma Rousseff, desde que tomou posse, em 15 de agosto deste ano. Após o encontro que tiveram hoje (30) no Palácio do Planalto, Cartes lembrou que, um dia depois de sua vitória nas eleições, recebeu um telefonema de Dilma, que destacou a importância do Paraguai para o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e colocou à disposição dos paraguaios todo o conhecimento e estrutura desenvolvidos Brasil no combate à pobreza.
"Não esquecerei jamais que, no dia seguinte ao da vitória nas eleições, recebi seu chamado e ela [Dilma] me dizia da importância de estarmos todos juntos no Mercosul e da necessidade de estarmos em família, todos juntos", disse Cartes. Segundo ele, ao longo da história, o Brasil e o Paraguai, países vizinhos, demonstraram saber superar grandes adversidades. Cartes acredita que ele e Dilma serão lembrados pela manutenção das boas relações entre as duas nações, a despeito de diferenças conjunturais que possam ter ocorrido ao longo do tempo.
O Paraguai ficou suspenso do bloco entre 29 de junho de 2012 e 12 de julho deste ano porque os líderes políticos da Argentina, do Brasil e do Uruguai discordaram da forma como o então presidente Fernando Lugo foi destituído do poder, por impeachment. Com o processo eleitoral e a vitória de Cartes, que tomou posse em 15 de agosto, a suspensão foi extinta, mas o país ainda não retornou ao bloco.
Na ausência do Paraguai, houve a incorporação da Venezuela como país-membro do bloco, a adesão da Bolívia e a inclusão, com o status de membros associados, da Guiana e do Suriname. Pelas regras do Mercosul, o Poder Legislativo de cada um dos países-membros precisa aprovar a entrada de novos participantes, como a Venezuela, adesão que é questionada pelo Paraguai.
O presidente Cartes tem de lidar com os benefícios que o retorno ao Mercosul trará ao país e a oposição de parte do Legislativo a medidas tomadas pelo bloco durante a suspensão. A presidenta Dilma Rousseff disse hoje, após encontro com Cartes, que a suspensão não afetou as relações bilaterais com o Brasil.
Cartes ressaltou que o Paraguai não quer pedir favores ao Brasil e sim sentar para negociar, buscando benefícios para ambos os países, pois sabe que tem recursos naturais que interessam aos brasileiros. "Neste momento em que o Paraguai goza de um crédito de que não gozava ontem, queremos dizer ao Brasil que queremos sentar à mesa grande, e só quando as coisas forem boas para os dois, em [uma relação de] ganhar-ganhar. Estamos seguros de que temos condições de retribuir, pelo menos em parte, tanta generosidade do Brasil."
Segundo Cartes, seu país está em falta com brasileiros que foram há décadas para o Paraguai produzir alimentos e reivindicam títulos de propriedade de suas terras. Cartes enfatizou que os estrangeiros que foram para o Paraguai produzir, quando ainda não havia nenhuma estrutura, o ensinaram que seu país tinha atrativos e, por isso, se sente com enorme responsabilidade sobre o tema.
"Aqueles brasileiros que apostaram no meu país, fizeram por convicção e têm meu enorme carinho e admiração. No início, foram muitos, mas não ficaram todos. Ficaram os mais valentes, os que souberam aguentar, há 40 anos, a adversidade quando não havia estradas, água, nada, e sobreviveram. Negar que foram grandes mestres para a nossa gente na produção agrícola seria silenciar a verdade. Hoje me sinto com uma grande responsabilidade", reforçou o presidente paraguaio.
Antes do almoço oferecido à sua comitiva no Palácio Itamaraty, Cartes destacou que cerca 85% da economia vêm dos rios. Entre as principais atividades econômicas, estão a agricultura e a pecuária, sendo o país, que tem 406 mil quilômetros quadrados, um dos cinco maiores produtores de carne bovina no mundo. Com 6,5 milhões de habitantes, o Paraguai enfrenta altos índices desigualdade de renda, com 40% da população em faixa de pobreza e 18% de extrema pobreza.
"Quero que o meu gabinete seja lembrado pelo combate à pobreza. Obrigada por nos oferecer a experiência e a disposição neste combate. Estamos em condições de aceitar e de fazer as coisas juntos", disse Cartes, que agradeceu ao governo brasileiro por oferecer ao Paraguai as tecnologias dos programas Bolsa Família e Brasil sem Miséria.
No almoço oferecido aos paraguaios no Itamaraty, Dilma e Cartes tiveram a companhia do presidente interino do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), do vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC), do senador e ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) e de outras autoridades. Até o final do dia, Cartes irá visitar as duas casas do Congresso Nacional e o STF.
Edição: Nádia Franco
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil



You are receiving this email because you subscribed to this feed at http://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
http://blogtrottr.com/unsubscribe/hPP/fnCRwS

Espalhe:

Comentário(s)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...



Explore o MAXX

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Cultura

Famosos
MAXX FM
Música
Sobre Rodas
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2017 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade, em especial no que tange ao uso de cookies."

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni