Número de refugiados sírios pode quase dobrar até final de 2014

16 de dezembro de 2013

Internacional



Número de refugiados sírios pode quase dobrar até final de 2014
http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-12-16/numero-de-refugiados-sirios-pode-quase-dobrar-ate-final-de-2014
Dec 16th 2013, 16:25

Da Agência Brasil*
Brasília - O número de refugiados da Síria pode quase dobrar até o final do ano que vem, informou hoje (16) o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur). Dos atuais 2,3 milhões de sírios deslocados para outros países, o total pode chegar a 4,1 milhões até 2014, segundo estimativas do órgão.
Devido ao grande número de deslocados sírios, o total de refugiados em 2013 foi o maior dos últimos 20 anos, quando houve a crise populacional relacionada ao genocídio em Ruanda, na década de 1990.
"Em 2013, mais de 2 milhões de pessoas deixaram seus países por causa de um conflito, é o maior número de novos refugiados em quase 20 anos. Atualmente, 2,3 milhões de refugiados sírios foram registrados na região, entre os quais 1,7 milhão [de pessoas que] chegaram em 2013, mas as estimativas indicam que o número pode ultrapassar os 4,1 milhões no final de 2014", disse o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres.
Para Guterres, a crise de refugiados sírios é a mais perigosa para a paz e a segurança desde a 2ª Guerra Mundial. Ele destacou as consequências desses deslocamentos para a sociedade, a demografia e a economia dos países vizinhos – que são os que mais recebem os refugiados da Síria.
"Eles precisam da solidariedade massiva da comunidade internacional, solidariedade em apoio financeiro, humanitário, estrutural e solidariedade na repartição das consequências", destacou.
Guterres pediu ainda que todos os países mantenham as suas fronteiras abertas aos refugiados sírios. Ele disse estar decepcionado com a falta de ajuda internacional a essas pessoas. De acordo com o alto comissário, foram oferecidos 15 mil abrigos por meio de programas de reinstalação.
"Precisamos de vistos, programas de reunificação e de reinstalação. Precisamos de mecanismos que permitam às pessoas estar em segurança sem passar pelas mãos de traficantes, que estão entre os piores criminosos no mundo", disse.
De acordo com António Guterres, o maior desafio da atualidade é organizar a crise na Síria, a multiplicidade de situações de emergência, como nas Filipinas ou na República Centro-Africana (RCA), além da persistência de outras, como no Sudão ou no Afeganistão.
As Nações Unidas (ONU) pediram hoje US$ 12,9 bilhões (cerca de R$ 30,1 bilhões) para aplicar em operações humanitárias em 2014. O valor, o mais alto já pedido pela organização, será usado para atender a 52 milhões de pessoas.
O plano inclui a participação de 568 organizações humanitárias e abrange, entre outros, a Síria, a República Centro-Africana, a República Democrática do Congo, o Sudão, o Sudão do Sul, a Somália, os países do Sahel (faixa de território subsaariano que vai do Leste ao Oeste da África), a Palestina, o Iêmen, o Afeganistão, Birmânia, as Filipinas e o Haiti.
*Com informações da Agência Lusa // Edição: Juliana Andrade



You are receiving this email because you subscribed to this feed at https://blogtrottr.com

If you no longer wish to receive these emails, you can unsubscribe here:
https://blogtrottr.com/unsubscribe/hPP/fnCRwS

Espalhe:

Comentário(s)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Explore o MAXX

Notícias
Nacional

Internacional
Finanças
Política
Justiça
Segundo Caderno
Esportes


Educação
Inovação

Serviços
Barra de Ferramentas

Buscador
Previsão do Tempo
Tradutor
Viagens

Entretenimento
Cultura

Famosos
MAXX FM
Música
Sobre Rodas
Stations (Busca Rádios)

Estilo de vida
Homem

Mulher

Chat
Amizade

Encontros
Livre
Paquera
Sexo (+ 18 anos)
Webmasters
Outras salas

Fale conosco
Atendimento Virtual
Avalie-nos
E-mail

Fone Fácil
Fórum
Reclame Aqui
Redes Sociais

Copyright 2008 - 2018 © Ouni - Todos os direitos reservados.
"O uso desse website significa que você aceita os Termos de Uso e a Política de Privacidade, em especial no que tange ao uso de cookies."

Informações Importantes | Política de Privacidade | Termos de Uso

Vá para o Ouni